De acordo com o capítulo II, artigo 3º, da Lei 6965 de 09/12/1981, é estabelecido que dentro do ambiente educacional “é de competência do fonoaudiólogo, desenvolver trabalho de prevenção no que se refere à área de comunicação escrita e oral, voz e audição, participar da equipe de orientação e planejamento escolar, inserindo aspectos preventivos ligados a assuntos fonoaudiológicos” (CFFa, 2004)

Sendo assim, o objetivo desse trabalho é discutir acerca do papel do fonoaudiólogo na educação e suas possibilidades de trabalho, através da publicação, palestras e orientações a educadores e outros interessados!

14/04/2009

16 de abril – Dia Mundial da Voz


Qual a diferença entre voz e fala?
A voz é o som produzido pelas pregas vocais que se localizam na laringe. Elas se afastam na inspiração e o ar entra nos pulmões.
Ao falar, as pregas vocais aproximam-se, o ar sai dos pulmões e passando pela laringe produz as vibrações que resultam no som da voz.
Já a fala é o resultado da voz articulada por meio dos movimentos da língua, lábios, mandíbula e palato.
Portanto, para que possamos falar precisamos da nossa voz.




Uma voz bem imposta é aquela produzida com o máximo de naturalidade, clareza, segurança e com o menor esforço possível.

Qualquer alteração de voz é denominada DISFONIA, enquanto AFONIA é o termo utilizado para designar a ausência da voz.

A disfonia do professor é considerada como doença profissional e social!

Os sinais mais comuns de disfonia:
• Esforço ou cansaço ao falar;
• Sensação de aperto ou bolo na garganta;
• Dor na nuca, ombros e pescoço;
• Rouquidão oscilante ou temporária
• Diminuição da intensidade da voz (falar mais fraco);
• Escape nasal excessivo;
• Perda no controle da intensidade (forte e fraco) ou altura (grave e agudo) da voz;
• Soprosidade na voz.



CONDIÇÕES BÁSICAS DE HIGIENE VOCAL
- Condições da sala de aula:
A limpeza deverá ser realizada com pano úmido e na ausência do professor para evitar a inalação da poeira. Uma sala de aula bem ventilada também auxilia o professor.
Se as janelas estiverem voltadas para rua ou para um pátio barulhento, as janelas deverão ficar fechadas, para evitar que o professor grite durante as aulas.


- Temperatura
O clima frio e úmido pode afetar o trato respiratório, favorecendo inflamações e infecções que impedem a livre função vocal. Deve-se evitar mudanças bruscas de temperatura.
- Vestimentas
Use roupas leves e folgadas que permitam a movimentação livre do corpo. Não use nada apertado principalmente no pescoço, onde está a laringe com as pregas vocais e na cintura, onde está o músculo diafragmático, importante para o apoio da fonação.

- Postura do professor
Mantenha o corpo ereto, porém relaxado ao falar. Tome cuidado para não falar com a cabeça inclinada, pois tal postura provoca um desequilíbro no aparelho fonador.
Não fique o tempo todo parado, o que pode lhe causar tensão, mas também não se movimente o tempo todo para não distrair os alunos e provocar cansaço.
Quando for necessário falar sentado, mantenha as costas afastadas do encosto, retas e pernas relaxadas e não com o corpo jogado ou muito menos com a cabeça apoiada na mão.
Evite apoiar o pé na parede, tal postura não oferece firmeza ao diafragma, influenciando na respiração e na projeção da voz.

- Alimentação
Antes das aulas evite alimentos pesados e muito condimentados que tornam a digestão lenta e dificultam a movimentação livre do diafragma, interferindo na produção vocal.Dê preferência aos alimentos leves, como verduras e frutas que bem mastigados relaxam a mandíbula, melhorando a articulação, dando a sensação de leveza ao corpo.


São indicados especialmente maçã, salsão e sucos cítricos, por suas propriedades adstringentes, que auxiliam na limpeza bucal.
Deve-se evitar a ingestão de leite e seus derivados e chocolate antes das aulas, pois são alimentos que aumentam a secreção de muco no trato vocal, o que poderá interferir na sua produção oral.

Evite o uso de pastilhas e balas, pois elas tem um efeito paliativo que acaba mascarando a dor do esforço vocal, prejudicando ainda mais as mucosas e ocultando o problema.
O professor deve beber muita água fresca (temperatura ambiente) durante as aulas para hidratar o trato vocal.Alimentos e bebidas geladas são sempre nocivos, pois o choque térmico causa uma descarga imediata de muco e provoca edema nas pregas vocais.

- Cigarro
O fumo é altamente nocivo, pois no momento que se traga, a fumaça agride todo o sistema respiratório, principalmente as pregas vocais, podendo causar irritação, pigarro, edema, tosse, aumento da secreção e infecções. O fumo é um dos principais causadores de câncer de laringe e pulmão. O fumante passivo é o que mais sofre, sendo aconselhável que não se fume na sala dos professores.

- Alergias
Indivíduos com alergias manifestadas nas vias respiratórias como bronquite, asma, rinite e faringite são mais propícios a desenvolverem problemas de voz.Essas pessoas necessitam de avaliação otorrinolaringológica para uma adequada conduta.

- Hábitos vocais
Pigarrear, tossir e raspar a garganta são hábitos vocais inadequados e podem facilitar o aparecimento de alterações nas pregas vocais, pelo atrito constante e brusco que provocam. Esses comportamentos devem ser evitados e podem ser substituídos pelo ato de deglutição que auxilia na retirada do excesso de secreção.

- Ciclos menstruais
Em média, 40% das mulheres notam alguma alteração vocal na semana pré-menstrual e nos primeiros dias de menstruação.
Tais alterações podem se manifestar por meio de um simples cansaço vocal, mas também por sintomas mais severos como a mudança na qualidade vocal, o abaixamento do tom e a fadiga da emissão. Isso acontece devido as mudanças hormonais e tais alterações desaparecem após esse período.
As mesmas alterações acima podem ocorrer em virtude ao uso de pílula anticoncepcional.

- Recursos didáticos
Use recursos como palmas ou outros sinais previamente combinados para silenciar a classe. Não grite, nem comece a aula antes de ter silêncio na sala.
Durante as aulas, o professor deve dirigir a sua voz para o centro da sala e não a um aluno específico.

- Respiração
Para se ter uma boa voz, é importante uma coordenação adequada entre a saída do ar e a emissão dos sons.
A respiração correta, chamada costo-diafragmática, deve ser silenciosa, tranquila e suficiente. Na inspiração, observamos o aumento do volume pulmonar, abaixamento do músculo diafragmático, expansão lateral das costelas e distensão da parede abdominal. Na expiração, ocorre a volta ao estado de repouso, dos músculos que entraram em ação durante a tomada do ar.


- Atividades de relaxamento
Realize o relaxamento sempre com os olhos semi ou totalmente fechados.
Fique em ambiente tranqüilo, silencioso, bem ventilado, com temperatura adequada e de preferência com pouca luz.
Utilize uma música suave.
Use roupa confortável, afrouxe qualquer tipo de vestimenta que estiver apertando, não use relógio, óculos ou outros adornos como colar.
Não se apresse na execução dos movimentos.
Perceba as sensações após o relaxamento, isto é importante para você sentir os seus progressos.

- Relaxamento de ombros e pescoço
Obs: É importante realizar cada exercício 2 ou 3x ao dia
•Inicie o movimento levando lentamente a cabeça para trás; sinta a contração dos músculos anteriores do pescoço. Volte, tentando encostar o queixo no peito e sentindo a descontração dos músculos antes tensionados.
•Vire a cabeça, iniciando o movimento frente-lado; tentando levá-la para trás o máximo possível; volte à posição inicial e execute o mesmo movimento do outro lado.
•Incline a cabeça lentamente para os lados, tentando “encostar” as orelhas nos ombros (estes não devem se mover).
•Realize,
com a cabeça, movimentos rotatórios de maneira lenta.

•Eleve os ombros lentamente, tentando aproximá-los das orelhas.
•Mova os ombros lentamente, formando círculos laterais para trás.
•Em pé com as mãos unidas nas costas, puxe-as para cima soltando a cabeça para trás.
•Em pé, com os braços para cima, faça o movimento de máximo alongamento dos braços como se estivesse catando laranjas em uma árvore alta.

**Aquecimento vocal
Vibração de lábios – BRRRRR
Vibração de língua – TRRRRR
M mastigado terminando usando vogais – mmmmua

**Desaquecimento vocal
Repouso vocal e muito SILÊNCIO
Vibração de língua – TRRRRR


Sua voz deve durar o quanto durar a sua vida.
Portanto, cuide bem dela!